Oito cevicherias para aproveitar o verão em São Paulo

O verão ainda nem chegou e a temperatura já começou a subir, junto com a vontade de comer coisas refrescantes. Fora as sobremesas geladas, se quisermos pensar num prato principal, uma ótima ideia é o ceviche, cuja origem é lá dos Andes.

Ceviche, cebiche ou seviche é um prato da culinária peruana baseado em peixe cru marinado em suco de limão, lima ou outro cítrico. Este cozimento do peixe nos temperos se transforma em um caldo chamado leche de tigre. Os acompanhamentos variam entre milho peruano, cebola (comum ou roxa), abacate e batata-doce — nos Andes as variedades são muitas.

Com o aumento do interesse por dietas vegetarianas, o prato foi adaptado e já existem ceviches sem peixe. Seja com ou sem ele, escolhemos oito cevicherias em São Paulo para você apreciar a culinária andina neste verão.

Suri Ceviche & Bar

No Suri, o queridinho do público é o de la casa tradicional (R$ 49). A receita leva salmão, camarão e lula com emulsão de abacate, leite de coco, coentro, cebola e chips de banana. Outra boa pedida é o ceviche mediterrâneo (R$ 48,50), com camarão, polvo, lula, tomates salteados, manjericão, cebola, azeite e pão sueco. Para complementar o prato, peça os pastéis de pulpo (R$ 29,50, quatro unidades), recheados com polvo, ají amarillo (pimenta peruana), cream cheese, purê de batata e coentro. Se quiser um drinque, a sugestão é o pisco quebrante (R$ 32), feito com manjericão, limão siciliano, zimbro e bitter de lúpulo. Uma novidade que vai estrear no restaurante na nova estação é o G.T. viva la vida (R$ 35): uma combinação de gin, grapefruit, zimbro, tomilho e tônica.

Vai lá:

Rua Mateus Grou, 488, Pinheiros, São Paulo.

Terça, das 19h às 23h.

Quartas e quintas, das 19h às 24h. Sexta, das 12h às 15h e das 19h à 0h30.

Sábado, das 12h às 16h30 e das 19h à 0h30.

Telefone: (11) 3034-1763

 

Tumi Cevicheria Restaurante Peruano

Primeira cevicheria do ABCD paulista, localizada em São Bernardo do Campo, a Tumi serve a ronda de ceviches (R$ 72), o prato mais pedido da casa, com seis tipos diferentes de ceviche. A ronda serve até três pessoas e pode ser acompanhada do tradicional pisco sour (R$ 24), drinque feito à base de pisco (aguardente de uvas peruano), suco de limão, xarope de açúcar, gelo e clara de ovo.

Às quartas-feiras de dezembro, o restaurante disponibiliza um rodízio de ceviche e petiscos (R$ 49 por pessoa). Durante a semana, o Tumi tem um menu executivo (R$ 25,90), composto de entrada de ceviche, prato principal e chicha (suco feito à base de milho roxo).

Vai lá:

Avenida Francisco Prestes Maia, 1362, Centro, São Bernardo do Campo

Terça a sábado, das 12h às 15h e das 18h às 23h.

Domingo, das 12h às 16h. Telefone: (11) 4338-1659

 

QCeviche!

No QCeviche!, o favorito é o de pescado (R$ 30 a meia porção, R$ 39 a porção inteira e R$ 64 para compartilhar), feito com peixe branco marinado em leche de tigre, batata-doce cozida e milho. Para o verão, o chef Rolando Limo tem três apostas. A primeira é no ceviche marino (R$ 35 a meia porção, R$ 45 a porção inteira e R$ 69 para compartilhar), de peixe branco, polvo, camarão e lula, com batata-doce cozida e milho. Outra é o vegano (R$ 20 a meia porção e R$ 29 a inteira): manga, abacate, pimentão, abobrinha e champignon marinados em leite de côco e leche de tigre. A terceira é a ensalada tropical (R$ 34), composta por mix de folhas, tomate, morango, pêssego e camarão ao molho de maracujá.

Para acompanhar os pratos, além dos clássicos pisco sour (R$ 22) e chicha morada (R$ 10), o drinque da estação é o chilcano de fresas (R$ 22), mistura morango, pisco, soda e xarope de açúcar.

Vai lá:

Faria Lima

Rua Tavares Cabral, 61, Pinheiros, São Paulo.

Segunda a domingo, das 12h às 15h, das 17h às 19h (happy hour) e das 19h às 22h30.

Telefone: (11) 3093-7220

 

Barra Funda

Avenida Marquês de São Vicente, 1619, Barra Funda, São Paulo.

Segunda a domingo, das 12h às 15h, das 17h às 19h (happy hour) e das 19h às 22h30.

Telefone: (11) 3576-5517

 

Huaco Restobar Peruano

Prato típico do verão nas praias de Lima, capital peruana, o duo chalaco (R$ 69 para três a quatro pessoas), cujo nome faz referência ao porto de Callao, une o ceviche clássico de peixe branco à lula à dorê. A dica é acompanhá-lo com um chilcano de morango (R$ 25), bebida refrescante para os dias de calor.

Além do prato especial, os mais pedidos do Huaco são o ceviche huaco (R$ 39), que leva frutos do mar temperados com um mix de pimentas brasileiras e peruanas e o fuente fria (R$ 78), entrada de petiscos com quatro tipos diferentes de ceviches e uma causa da camarão. A causa é um prato muito tradicional no Peru com diversos recheios, feito à base de uma espécie de purê de batatas.

Vai lá:

Alameda Ministro Rocha Azevedo, 1057, Jardins, São Paulo.

Terça a quinta, das 12h às 15h e das 19h às 23h. Sexta, das 12h às 15h e das 19h à 0h. Sábado, das 13h à 0h.

Domingo, das 13h às 17h.

Telefone: (11) 3064-0642

 

Sabor Latino e Eventos

Num charmoso sobrado no centro de São Paulo, o pequeno restaurante de atendentes simpáticos abre somente aos fins de semana e tem cardápio com comidas típicas da culinária andina. O ceviche de peixe branco, prato chamariz da casa, está disponível em quatro opções: vegano (R$ 24), com cogumelos e palmito no lugar do peixe; teriyaki (R$ 28), ao estilo japonês; clássico (R$ 32) e misto (R$ 35), que combina peixe, camarão e anéis de lula. Todas as versões acompanham batata-doce cozida e milho andino torrado e são para uma pessoa, mas podem ser compartilhadas como entrada ou petisco.

Durante a estação mais quente do ano, a casa serve também a causa de camarões (R$ 14), prato à base de batata cozida temperada com limão e ají amarillo, recheada de molho de camarões, e o chilcano (R$ 23), drinque popular no verão peruano, à base de pisco, suco de limão, xarope de açúcar, gelo e refrigerante de gengibre.

Vai lá:

Alameda Ribeiro da Silva, 762, Campos Elíseos, São Paulo.

Sábados e domingos, das 12h às 16h.

Telefone: (11) 3661-0339

 

La Mar Cebicheria

Além do clássico Ceviche de peixe branco (R$ 39), o La Mar serve receitas refrescantes assinadas pelo chef Gastón Acurio, como o nikei (R$ 45), que mistura salmão ou atum ao leche de tigre agridoce de tamarindo, abacate e nori; a degustação de ceviches (R$ 91), com três variações diferentes do prato; a salada de quinoa caprese (R$ 35), de quinoa, tomates marinados, muçarela de búfala e manjericão, e o tiradito andino (R$ 33), que une lâminas de salmão a molho de alcachofra, quinoa crocante, uva verde e brotos de coentro.

Para acompanhar os pratos, as pedidas são a caipirinha la cebicheria (R$ 19), especial de verão que leva cachaça, limão, physalis e um toque de ají amarillo; o frozen pisco (R$ 28), versão do pisco sour com muito mais gelo, e o frozen tangerina (R$ 28), com rum, suco de tangerina, suco de laranja e gelo moído.

Vai lá:

Rua Amauri, 328, Itaim Bibi, São Paulo.

Segunda a quinta, das 12h às 15h e das 19h à 0h.

Sexta, das 12h às 15h e das 20h à 1h. Sábado, das 13h às 17h e das 20h à 1h.

Domingo, das 13h às 17h.

Telefone: (11) 3073-1213

 

La Peruana

A chef Marisabel Woodman criou duas receitas leves e vegetarianas para o verão: ceviche de palmito, cogumelo, abobrinha no leche de tigre, acompanhado de milho, cancha peruana e chips de batata-doce (R$ 30) e causa de batata, temperada com limão e redução de beterraba, coberta com guacamole e champignon paris acevichado (R$ 37). Ambos os pratos servem uma pessoa como refeição e até duas como entrada compartilhada. O prato favorito dos fregueses é o ceviche clássico, de peixe branco fresco do dia e quenelle de batata-doce cozida na laranja (R$ 29, para uma pessoa). Para acompanhar, a sugestão é o verano, um drinque de pisco, licor de lichia, melancia, limão siciliano, hortelã e refresco cítrico (R$ 29).

Vai lá:

Alameda Campinas, 1357, Jardim Paulista, São Paulo.

Terça a sexta, das 12h às 15h e das 19h às 23h. Sábados e domingos, das 12h às 23h.

Telefone: (11) 3885-0148 / 96836-7101

 

Rinconcito Peruano

Com 10 casas de São Paulo, o tradicional Rinconcito Peruano é o restaurante do chef Edgard Villa, peruano que começou no Brasil vendendo artesanato na rua 25 de Março. Para o verão, o restaurante aposta nos ceviches de pescado (R$ 38 a R$ 136, dependendo do tamanho); de salmão (R$ 48,90 o individual e R$ 93,90 o médio); de camarão (R$ 58,90) e vegetariano (R$ 32,90). Todos os pratos são marinados em leche de tigre e vêm com batatas cozidas e milho choclo peruano torrado.

Para acompanhá-los, as sugestões são a chicha morada (R$ 7,90 o copo, R$ 12,90 meio litro e R$ 19,90 um litro), a limonada da casa (R$ 7 o copo, R$ 12 meio litro e R$ 19 um litro), (R$ 7 o copo, R$ 12 meio litro e R$ 19 um litro), a limonada frozen (R$ 22 a jarra de um litro), versão docinha do suco com muito gelo, e a chicha sour (R$ 25), versão alcoólica da bebida de milho roxo. Para a sobremesa, peça a torta 3 leches (R$ 14), que é uma delícia!

Vale destacar que as unidades têm sócios diversos e podem oferecer diferentes itens, preços e horários de funcionamento. Consulte o site para ter mais informações.

Vai lá:

Rua Aurora, 451, Santa Ifigênia, São Paulo.

Segunda, das 12h às 17h.

Terça a domingo, das 12h às 21h.

Telefone: (11) 3361-2400

 

Rua Serra de Bragança, 626, Tatuapé, São Paulo.

Terça a domingo, das 19h às 23h.

Telefone: (11) 2539-2033

 

Avenida Vieira de Carvalho, 86, Campos Elíseos, São Paulo.

Terça e sábado, das 12h às 23h.

Domingo e feriado, das 12h às 21h.

Telefone: (11) 3221-5621

 

Rua Guaianazes, 167, Campos Elíseos, São Paulo.

Terça a domingo, das 12h às 20h.

Telefone: (11) 3222-8310

 

Rua Trípoli, 144, Vila Leopoldina, São Paulo.

Terça a sab, das 12h às 23h.

Dom e feriado, das 12h às 20h.

Telefone: (11) 2129-6002

 

Avenida Sabiá, 733, Moema, São Paulo.

Terça a sexta, das 12h às 15h e das 19h às 23h.

Sábado, das 12h às 23h.

Domingo das 12h às 22h.

Telefone: (11) 4323-4103

 

Rua dos Pinheiros, 832, Pinheiros, São Paulo.

Terça a sexta, das 12h às 15h e das 18h às 22h.

Sábado, das 12h às 23h.

Domingo, das 12h às 18h.

Telefone: (11) 3062-0093

 

Rua Joaquim Floriano, 211, Itaim Bibi, São Paulo.

Segundas a sextas, das 11h30 às 23h.

Sábado, das 12h às 23h.

Domingo, das 12h às 22h.

Telefone: (11) 2729-6919

 

Rua Antônio de Godói, 29, Centro, São Paulo.

Segunda a sábado, das 12h às 17h.

Telefone: (11) 3223-8088

 

Avenida Dr. Cardoso de Melo, 1639, Vila Olímpia, São Paulo.

Segundas a sextas, das 11h30 às 23h.

Sábado, das 12h às 23h.

Domingo, das 12h às 22h.

Telefone: (11) 3842-4453

 

Mais informações: https://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/entretenimento/2018/12/15/cevicherias-para-aproveitar-o-verao-em-sao-paulo.htm

 

JALEA MIXTA, RECEITA TRADICIONAL PERUANA

 

Receita do chef peruano Rolando Limo, do restaurante QCeviche.

Rendimento: 1 porção
Tempo de preparo: 40 minutos

Ingredientes
100 g de lula;
100 g de camarão rosa limpo;
2 ovos;
5 g de alho;
250 ml de óleo de soja;
20 ml de molho shoyu;
100 g de farinha de trigo;
50 g de cebola roxa;
200 g de tilápia cortada em tiras de 3 a 4 cm;
200 g de mandioca cozida;
20 g de pimenta dedo-de-moça;
10 g de coentro fresco;
100 g de tomate italiano;
20 g de mostarda;
20 g de limão tahiti;
60 g de molho tártaro.

Modo de preparo
1 Tempere a tilápia, a lula e o camarão com sal, pimenta-do-reino, alho, limão, mostarda, shoyu. Deixe marinar por meia hora.
2 Enquanto isso, para fazer a salada, corte a cebola roxa e o tomate em julienne, tempere com sal, pimenta dedo-de-moça, coentro e suco de limão. Reserve.
3 Bata os ovos e misture à marinada dos peixes e frutos do mar. Em um bowl, despeje a farinha de trigo.
4 Em uma frigideira, comece a fritar os pedaços de mandioca com óleo, em temperatura de cerca de 180 °C.
5 Na sequência, passe a lula, o camarão e os pedaços de tilápia na farinha, bata para retirar o excesso, e leve a outra frigideira com óleo, também em temperatura de cerca de 180°C, para fritar.
6 Quando começarem a ficar dourados, com textura crocante (aproximadamente 5 minutos), retire e escorra os pedaços de mandioca, o peixe e os frutos do mar sobre papel-toalha. Em outra frigideira, salteie a salada de cebola roxa e tomate por dois minutos.
7 Para montar, em um prato coloque os frutos do mar e os pedaços de peixe frito no centro, complete com a mandioca frita ao redor. Cubra com a salada quente. Acompanhe o prato com molho tártaro.

 

Mais informações: https://revistacasaejardim.globo.com/Casa-e-Comida/Receitas/noticia/2018/06/jalea-mixta-receita-tradicional-peruana.html

Excelente peruano, o QCeviche é alternativa descolada para o jantar ou Happy Hour

Não subestime a cevicheria do térreo do Ibis da Faria Lima. O QCeviche está entre os endereços onde mais nos sentimos perto da cozinha peruana. A casa é bastante descontraída, com decoração simples e descolada (até nisso remete às origens…) e ainda conta com rótulos de cervejas artesanais e pratos quentes surpreendentes. Tudo isso a preços bastante modestos, inacreditável.

Desde maio, as duas unidades do restaurante QCeviche apresentaram novidades no cardápio, assinado pelo chef peruano Rolando Limo, que tem passagens pelo restaurante-escola Don Ignácio, em Lima. O ceviche segue como a estrela da casa, em suas cinco versões – pescado (de peixe branco), nikkei, marino (com frutos do mar), vegano (de manga, abacate e cogumelos) e de frutas –, mas ganha uma degustação especial (R$ 54), na qual o cliente pode experimentar três sabores. Atenção especial ao nikkei, de salmão, que possui um sabor levemente oriental – mesmo menos “peruano” é uma perdição.

Entre as novidades estão a jalea mixta (filé de peixe branco, com camarões crocantes, anéis de lula, mandioca ou batatas fritas, acompanhado de salada de cebola e tomate, R$ 54); o filé mignon em salsa anticuchera (medalhão com molho de pimenta dos andes, batatas sauté, R$ 42); o risoto de lomo saltado (R$ 38); a salada pallares, típica do sul do Peru (fava branca cozida, cebola, tomate, pimenta dedo-de-moça e queijo branco, R$ 19); e a sopa criolla (carne, cebola, tomate, pimenta dos andes, cabelo de anjo, torrada e ovo poché, R$ 17), prato tradicional da costa peruana.

Para a happy hour (entre as 17h e 19h), há novos pratos para compartilhar, como o lomo al jugo con papas rusticas (asinhas de frango cozidas em baixa temperatura e cobertas por molho agridoce com batatas fritas, R$ 36) e a trilogia de tequenos (pastéis peruanos recheados com ceviche quente, lomo saltado e aji de galinha, servidos com guacamole e salsa huancaína, R$ 29), ambos combinam bem com os drinques da casa, como o pisco sour (R$ 22), nuestro chilcano (R$ 22), que leva milho roxo em sua composição.

As sobremesas são bastante leves e mantem o saudável de todas as refeições, com ceviches de frutas e possibilidade de escolher as coberturas. Mesmo a sobremesinha de caixa deles é um charme: o alfajor peruano feito pela cozinha desmancha na boca com massinha amanteigada e doce de leite levinho de recheio, impossível comer um só.

Ceviche Nikkei

Risoto de Lomo Saltado

Filé em Salsa Anticuchera

Serviço:

QCeviche em dois endereços:
Faria Lima
Rua Tavares Cabral, 61, Pinheiros
Tel.: 11 3093-7200

Barra Funda
Rua Marquês de São Vicente, 1619, Barra Funda
Tel.: 11 3576-5517

12h/15h e 19h/22h30 (em ambas as unidades)

 

Mais informações: http://www.elitemagazine.com.br/novos-sabores-do-peru-no-cardapio-do-qceviche/

Fusão entre as culinárias peruana e japonesa é tema de jantar em São Paulo

O Peru recebeu um forte movimento migratório de japoneses no século XIX e essa fusão pode ser sentida com clareza na gastronomia com a origem da culinária nikkei. O termo usado com frequência pelos peruanos remete aos pratos que combinam receitas e técnicas dos dois países.

No dia 31 de julho, a unidade Faria Lima do QCeviche! receberá os chefs Lucas Oliveira, do Izakaya Toki, e Diego Zarazu, de La Mar Cebicheria, que junto do anfitrião Rolando Limo, realizarão um jantar nikkei.

O menu com cinco etapas sairá por 120 reais, sem incluir as bebidas. Para participar, é necessário fazer reserva pelo telefone (11) 3093-7200.

QCeviche! Faria Lima

Rua Tavares Cabral, 61, Faria Lima, São Paulo, SP; qceviche.com.br/faria-lima

Mais informações: https://prazeresdamesa.uol.com.br/noticias/fusao-entre-as-culinarias-peruana-e-japonesa-e-tema-de-jantar-em-sao-paulo/

Sexta edição do festival gastronômico Peru Week começa na quarta (7)

Começa nesta quarta (7) e vai até o dia 22 a sexta edição da Peru Week, festival dedicado à gastronomia do país latino que ocorre em diversas cidades do Brasil.

Em São Paulo, 15 restaurantes participam com menus especiais a preços variados. Um deles é o QCeviche!, que oferece receitas como o quinoto com filé-mignon e o ceviche de pescado com molho de pimenta-amarela. Lá, o menu com entrada, prato principal e sobremesa custa R$ 59.

A programação também traz casas como Cantinho Peruano, La Peruana e La Mar.

Quinoto com filé-mignon ao molho anticuchero servido no menu do QCeviche! na Peru Week
Quinoto com filé-mignon ao molho anticuchero servido no menu do QCeviche! na Peru Week – Divulgação

O evento também promove eventos e jantares com chefs convidados até quinta (8). A programação traz atividades como aula de ceviche seguida de degustação com Edgar Villar (fundador do Rinconcito Peruano) e José Luján (Chullpi Machu Picchu, TaytaFe e Ayasqa, em Cusco) na quarta (7). Para ver a programação de jantares e aulas, acesse  https://foodpass.com.br/projetos/peru-week.

A Peru Week é uma ação promovida pela Promperú (Comissão de Promoção do Peru para a Exportação e o Turismo) e pelo Escritório Comercial do Peru no Brasil, organismos vinculados ao Ministério de Comércio Exterior e Turismo. Além do festival gastronômico, há descontos em passagens aéreas e passeios turísticos.

Veja a programação completa, com restaurantes participantes e menus, em peruweek.com.br.

QCeviche! – r. Marquês de São Vicente, 1.619, Barra Funda, tel. 3576-5517). Seg. a dom.: 12h às 15h e 17h às 22h30

Mais informações: https://guia.folha.uol.com.br/restaurantes/2018/11/sexta-edicao-do-festival-gastronomico-peru-week-comeca-na-quarta-7.shtml

Caso Brumadinho: restaurantes promovem #paodequeijopelavida

Restaurantes de todo Brasil se unem para ajudar na arrecadação de fundos para as vítimas da tragédia em Minas Gerais vendendo pães de queijo

Pães de queijo pela vida (Foto: Larissa Januário)

Não está fácil, a semana que passou foi marcada pela tragédia que assolou a cidade de Brumadinho, em Minas Gerais. Em momentos como esse, para além da tristeza, precisamos ser solidários. Pensando nisso, o Instituto Brasil a Gosto, instituição sem fins lucrativos fundada pela chef maravilhosa e amiga querida, Ana Luiza Trajano, está mobilizando profissionais e empresas de gastronomia de todo o Brasil. A deia é arrecadar fundos para a vítimas vendendo pães de queijo e outros produtos.

A iniciativa, batizada de #paodequeijopelavida, partiu do chef Raphael Rego, do restaurante Oka, primeiro restaurante especializado em cozinha brasileira lá fora a receber uma estrela Michelin. Ele começou uma onda em seu perfil no Instagram ao afirmar que doará a renda das vendas do seu pão de queijo para os afetados pelo desastre.

Aqui no Brasil, a iniciativa está encontrando eco e diversos restaurantes do País, vão vender além de pães de queijo, pratos e produtos gastronômicos. Engrossam o coro a chef Tânea Romão que doará 100% da venda de 1 mês de seu icônico pão de queijo recheado com pernil no A Oficina Kitanda Brasil, em São Paulo.

Também aderiram à campanha o casal de chefs paulistanos Jefferson e Janaína Rueda que vão doar, até o dia 05/02, 50% da venda do Arroz com suã d’A Casa do Porco Bar e da Galinhada do Bar da Dona Onça. Já a chef Paula Labaki doará 50% da venda de dois de seus produtos mais famosos, o Black Rub e Red Rub, durante o mês de fevereiro.  A nano bakery Lubie também vai dar sua contribuição revertendo parte das vendas da estupenda torta de cookies recheada de brigadeiro para Brumadinho.

Em Brasília, a premiada Baco Pizzaria,de Gil Guimarães, vai inovar e mudar sua operação para vender pão de queijo também, com 100% de sua renda voltada à campanha, por 1 mês.
Cada empresa será responsável por encaminhar a renda obtida com a campanha para um projeto de apoio às vítimas de Brumadinho. O Instituto está empenhado em divulgar a campanha e incentivar que mais casas ou marcas aqui no Brasil possam criar campanhas semelhantes para angariar recursos para o mesmo fim. Então se você tem um negócio e vontade de ajudar, essa é a chance.

Eu também vou dar minha contribuição: quem comprar ingressos para a primeira aula de cozinha do ano aqui na casa Sem Medida vai estar contribuindo com 50% do valor do ingresso. Para comprar ingressos só ir lá no meu Instagram @semmedida.

Abaixo, outras empresas para comer e ajudar:

Brasília, DF

Baco Pizzaria: a casa, em Brasília, mudará totalmente a logística da casa e preparará pão de queijo, com 100% renda, por 1 mês, contado a partir 29/01.

B. Oliveira Doces: de 08/02 a 28/02, 100% da venda de bolos inteiros é para o projeto.

Juiz de Fora, MG

Juliana Araújo Gastronomia: o espaço da chef, uma casa voltada para jantares, degustações e eventos, realizará um jantar (entrada, prato, sobremesa e harmonização com vinhos), com 100% renda revertida ao projeto.

Miguel Pereira, RJ

Summer Garden Restaurante: a casa participa da campanha em duas etapas. A primeira, de 31/01 a 03/02, 70% da venda dos biscoitos de queijo, vão para a causa. A partir de 04/02, entra em vigor um item exclusivo para a ação.

Recife, PE

Trattoria DaDani: no dia 01/02, o restaurante da chef Danielle Johnnei realiza um evento especial, de lançamento do coquetel que levará o nome da casa e toda a venda será destinada à campanha. A ação ainda inclui dois coqueteis exclusivos criado para Brumadinho, bem como o seu drinque mais pedido, o Puxadinho, – nesses três casos, destina-se 50% da arrecadação. Quem assina as receitas e também abraça a causa é a a Pina Cocktails.

São Paulo, SP

A Casa do Porco Bar: na casa do chef Jefferson Rueda, o arroz de suã terá 50% da venda destinada à campanha. De 30/01 a 06/02.

Arimba: no restaurante de comida caipira e tropeira, o angu tropeiro da chef Angelita Gonzaga, reverte 50% da renda durante todo o mês de fevereiro.

Bar da Dona Onça: 50% da venda da galinhada de Janaina Rueda, por uma semana, será doada ao projeto. De 30/01 a 06/02.

Lubie Bakery: em fevereiro, 50% do valor arrecadado com a venda da torta de cookie é para o projeto.

Mandioca Cozinha: na casa da chef Madu Melo, toda a operação mudou para começar a servir pão de queijo, que terá 100% renda revertida durante 1 mês: 29/01 a 28/02.

Maria Farinha: o restaurante, voltado para cozinha brasileira, doará 100% das vendas de seu bolinho caipira.

Oficina Kitanda Brasil: o pão de queijo recheado com pernil, da chef Tânea Romão, terá renda 100% à campanha, por 1 mês.

Paula Labaki: 50% da venda de dois de seus produtos, o Black Rub e Red Rub, durante o mês de fevereiro, vão para o projeto.

Rosina Empório e Gastronomia: a partir de 05/02 e durante o mês de fevereiro, 50% do valor arrecadado em sua feirinha orgânica, destinará 50% para a causa.

QCeviche: a rede dedicará 50% da renda de todas as sobremesas vendidas nas unidades Faria Lima e Barra Funda, durante 7 dias.

Vitória, ES

Caçarola Cozinha Artesanal: pacotes de bolinhas de queijo com 24 unidades, que custam R$ 25, reverterão R$ 5 para a campanha.

Mais informações: https://revistamarieclaire.globo.com/Blogs/Sem-Medida/noticia/2019/02/caso-brumadinho-restaurantes-promovem-paodequeijopelavida.html

 

Brumadinho: Instituto Brasil a Gosto realiza ação em prol das vítimas do desastre

Entenda a campanha e veja quem são os parceiros que já aderiram à causa

Frente à tragédia que assolou Brumadinho (MG) na semana passada, o Instituto Brasil a Gosto está mobilizando o setor da gastronomia do país – chefs, restaurantes e empresários – a se engajarem em uma ação em prol das vítimas da tragédia.

A ideia é ampliar, no Brasil, a campanha #paodequeijopelavida, lançada pelo chef Raphael Rego, do Oka, de Paris – restaurante que, recentemente, consagrou-se como o único a ganhar estrela Michelin, no exterior, com cozinha brasileira. Raphael decidiu vender em seu restaurante, por um mês, porções de pão de queijo, ícone da cozinha mineira, a 5 euros, com toda renda revertida às vítimas.

Como participar

Os interessados (chef, restaurante, evento, profissional, entre outros) são convidados a criar ou escolher um prato ou produto de seu estabelecimento para participar da campanha. Devem também definir a porcentagem da venda que será doada, bem como o tempo de duração da ação. Cada casa será responsável por encaminhar a renda obtida com a campanha para um projeto de apoio às vítimas de Brumadinho.

Quem quiser ajudar pode entrar em contato conosco em nossos canais nas redes sociais, pelo e-mail contato@brasilagosto.org ou tel. (11) 97087-8109.

Ao longo dos dias, a lista dos parceiros será constantemente atualizada. Até agora, são eles:

Parceiros

Brasília, DF

Baco Pizzaria: a casa, em Brasília, mudará totalmente a logística da casa e preparará pão de queijo, com 100% renda, por 1 mês, a partir 29/01.

B. Oliveira Doces: de 08/02 a 28/02, 100% da venda de bolos inteiros é para o projeto.

Olivae: até 28/02, 50% da venda da Carbonara Brumadinho, do chef Agenor Maia, será destinada à ação.

 

Brumadinho, MG
A Cachacaria Itinerante Todos os eventos realizados pela empresa, que roda o Brasil divulgando a  cachaça, terá 20% da renda revertida ao projeto, no mês de fevereiro. A agenda já traz nove iniciativas, confira a agenda no Instagram do projeto, @acachacariaitinerante.

 

Cuiabá, MT
The Bread Lab: até 28/02, 50% da venda do pão de queijo é em prol da causa.

 

Miguel Pereira, RJ
Summer Garden Restaurante: a casa participa da campanha em duas etapas. A primeira, de 31/01 a 03/02, 70% da venda dos biscoitos de queijo, vão para a causa. A partir de 04/02, entra em vigor um item exclusivo para a ação.

 

Maceió, AL
Restaurante Akuaba: A cada acarajé vendido, eles vão doar 2,50 para Brumadinho. A ação durará durante todo o mês de fevereiro.

 

Pedreiras, MA
Ponto X: 70% da venda do Tropeiro sertanejo dos chefs Marcelo Rios e Rafael Brunno será revertida ao projeto. De 07/02, durante 30 dias.

 

Recife, PE
Quina do Futuro: o restaurante, do chef André Saburó, criou uma entrada especial para a campanha, a barriga de salmão defumada em chá verde, com castanha de caju, rapadura e picles de rabanete. Custa R$ 37,90 e cada prato vendido destinará R$ 30 à Brumadinho. A partir de 06/02, limitado a 300 porções.

 

Ponte Nova: o restaurante, do chef Joca Pontes,  irá doar 50% do valor arrecadado entre os dias 6 e 13 de fevereiro das vendas de almoço e jantar.

 

São Paulo, SP

Arimba: no restaurante de comida caipira e tropeira, o andu tropeiro da chef Angelita Gonzaga, reverte 50% da renda durante todo o mês de fevereiro.

 

Lubie Bakery: em fevereiro, 50% do valor arrecadado com a venda da torta de cookie é para o projeto.

 

Casa de Ieda: a chef Ieda de Matos escolheu o bolinho de estudante salgado para estrelar a campanha. Em cartaz durante todo o mês de fevereiro, com 100% ao projeto.

 

Mandioca Cozinha: na casa da chef Madu Melo, toda a operação mudou para começar a servir pão de queijo, que terá 100% renda revertida durante 1 mês: 29/01 à 28/02.

 

Maria Farinha: o restaurante, voltado para cozinha brasileira, doará 100% das vendas de seu bolinho caipira.

 

No Quintal do Jabaquara: a partir de 16/02 até 31/03, 100% da renda da bavaroise de café com calda de chocolate e laranja vendida na casa, será destinada ao projeto.

 

Oficina Kitanda Brasil: o pão de queijo recheado com pernil, da chef Tânea Romão, terá renda 100% à campanha, por 1 mês.

 

Paula Labaki: 50% da venda de dois de seus produtos, o Black Rub e Red Rub, durante o mês de fevereiro, vão para o projeto.

 

Rosina Empório e Gastronomia: a partir de 05/02 e durante o mês de fevereiro, 50% do valor arrecadado em sua feirinha orgânica, destinará 50% para a causa.

 

Vitória, ES
Caçarola Cozinha Artesanal: pacotes de bolinhas de queijo com 24 unidades, que custam R$ 25, reverterão R$ 5 para a campanha.

 

Ações encerradas

 

Recife, PE
Trattoria DaDani: no dia 01/02, o restaurante da chef Danielle Johnnei realiza um evento especial, de lançamento do coquetel que levará o nome da casa e toda a venda será destinada à campanha. A ação ainda inclui dois coqueteis exclusivos criado para Brumadinho, bem como o seu drinque mais pedido, o Puxadinho, – nesses três casos, destina-se 50% da arrecadação. Quem assina as receitas e também abraça a causa é a a Pina Cocktails.

 

São Paulo, SP

A Casa do Porco Bar: na casa do chef Jefferson Rueda, o arroz de suã terá 50% da venda destinada à campanha. De 30/01 a 06/02.

Bar da Dona Onça: 50% da venda da galinhada de Janaina Rueda, por uma semana, será doada ao projeto. De 30/01 a 06/02.

Casa Bonametti e Tupguar: na campanha, a padaria e confeitaria paulistana se une à empresa mineira que se dedica ao polvilho desde a década de 40, para produzir pão de queijo, que reverterá R$ 6, no caso da unidade grande; e R$ 10, no caso da porção com 6 pequenos. Este domingo, das 9h às 17h.

 

Jericoacoara, CE
Serafim: o restaurante, da chef Mel Freitas, realiza jantar especial à causa, no dia 08/02. O menu, composto por entrada, prato principal e sobremesa. Custa R$ 120 e 90% da renda será revertida ao projeto.

 

Juiz de Fora, MG
Juliana Araújo Gastronomia: o espaço da chef, uma casa voltada para jantares, degustações e eventos, realizará um jantar (entrada, prato, sobremesa e harmonização com vinhos), com 100% renda revertida ao projeto.

Tubaína Bar: 50% da venda das tubaínas, entre 03 e 10/02, é em prol da campanha.

QCeviche: a rede dedicará 50% da renda de todas as sobremesas vendidas nas unidades Faria Lima e Barra Funda, durante 7 dias. – Leia mais em http://brasilagosto.org/brumadinho-acao-em-prol-vitimas-desastre/